segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Brisa passageira...

Eram sussurros em invisíveis movimentos
Como brisa, açoitando meu rosto...
Minha mente povoada por pensamentos,
...Numa tarde, quente de Agosto.

Seria sonho, desejo ou simples quimera,
Mas eram gratas visões...
Eu ficava petrificado em longa espera,
Desejando não terminar estas emoções.

Tua imagem surgia-me, imponente,
Numa altivez cativante, sedutora...
Pensava eu como seria ardente,
Abraçar-te, nesta paixão avassaladora.

Sonhar é ilusório, utópico,
A alma vagueando, sei lá por onde...
Coração,em ritmo acelerado,meteórico,
Sempre permitirei que o amor me ronde.

Sem comentários:

Enviar um comentário