segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Nostalgia

Navegando nos mares da vida,
Acalentado pelo sol da ilusão...
Sinto a felicidade contida,
Na letra de uma bela canção.

Desejaria voar alto, como as aves,
Ver as coisas boas do mundo...
Afinal somos como naves,
Errantes num vazio profundo.

Olhar o horizonte perdido,
Sentir a beleza da nostalgia...
Mesmo que o coração esteja ferido,
Não deixar cair na melancolia.

Deus deu-nos tudo,
Paz, amor, felicidade...
Que fizemos nós, contudo?
Tornámos tudo numa triste realidade.

1 comentário:

  1. Não imaginas como me sinto feliz em ler teus poemas, creia-me Zé, eles são maravilhosos.

    ResponderEliminar