sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Desatino



Envolvo-me nos lençóis da inquietação,
Deitado no leito da ansiedade,
Cubro-me com a penumbra da noite,
Penso em sonhos que nunca foram sonhados,
Ouço sons, sinos de alerta,
Roçam em mim os tecidos do breu,
Imagens que voam,
Em movimentos aleatórios
Enigmáticos,
Pensamentos em desalinho,
Desconexos,
Intranquilidade,
Suores inexplicáveis,
Ânsia, desejo de alguém
Que se ausentou,
Para onde e porquê?
Alma vagueando por lugares remotos
Do desalento, do nada
Angústia de perda,
Sentimentos que se perdem
Por entre os dedos
Como areia,
E a noite continua, serena
Tentando acalmar a minha solidão
Adormeço...
Enfim, descansei!

J.C.Moutinho




Sem comentários:

Enviar um comentário