terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Pintarei a vida



Foste a inspiradora da minha tela,
Pintei-te com as cores da minha ilusão,
Da tela dos meus sonhos,
Retirei toda a paixão,
Cada traço do meu pincel,
Era um momento de alegria

Extasiado admirava a minha obra,
Orgulhoso da minha musa,
Mas tudo tem um fim...
E a tela às primeiras gotas
De uma chuva intemporal,
Foi perdendo as cores
Da paixão, da ilusão e dos sonhos
Tela antes envaidecida,
Pela sua beleza deslumbrante
E apaixonante das cores do amor,
Restou o branco do pano seco
Da frustração.

Obstinado, continuarei a pintar
Em busca da tela perfeita,
Sei que um dia
Terei a minha obra-prima
E pintarei a vida.

J.C.Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário