segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Sonhar...sempre



Ventos sopram, insubmissos
Sons, que soam como cânticos
De desejos sonhados;

Por este caminho sinuoso, sem fim,
Busco o calor do seu abraço,
Antes sentido,
Agora perdido;

Quero voltar a sentir o veludo
Da carícia das suas mãos;

A ternura dos momentos belos
De aconchego;

Quero que os seus olhos
Voltem a iluminar os meus dias;

Inebriar-me com a música celestial
Dos seus murmúrios;

Recordar coisas vividas, sentados
Ao luar;

Que os ventos levem a minha voz
Bem longe,
Gritando que é possível
Ser-se feliz;

Correr como criança, pelos prados
Verdes da esperança;

Absorver os cheiros da vida
E voltar a sonhar.

J.C.Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário