sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Alegoria



Céu azul,
Chovem utopias,
Em chão florido de quimeras,
No ar bailam sonhos,
Ruas engalanadas com fantasias,
O vento parou,
Espera pelos abraços,
Vindos nas asas da esperança,
Árvores libertam perfumes,
Essências raras,
As flores têm corolas mais coloridas,
O chilreio das aves é melodia encantada,
Que nos acalma os sentidos,
Despertos e irrequietos,
O mar azul, nas suas ondas,
Leva-nos para o paraíso,
Onde o coração bate calmamente,
E a alma se liberta,
Das agressões do quotidiano,
E se deslumbra pela beleza,
Da vida.
Desta vida!

J.C.Moutinho

1 comentário:

  1. Utopia sim, mas que por momentos, nos faz sentir o que o poema quimericamente relata.
    Bela esta utopia que nos alimenta.
    Beijo

    ResponderEliminar