quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Entro em mim



Liberto-me das memórias do tempo,
Percorro caminhos nunca antes pisados,
Atravesso chuvas de intolerância,
Penetro no zénite da paz,
Sou levitado para o amor, abraçado pelo luar,
Atinjo o clímax da estabilidade emocional
Do meu viver,
Envolvo-me nos véus da serenidade
E retorno mais feliz,
Mais tolerante e com amor,
Olho em redor de mim,
E tudo me parece mais alegre,
Mais vivo, mais vibrante, mais colorido,
Espelho da minha alma,
Libertada das amarguras,
Antes sentidas
E agora eliminadas
Entro em mim,
Descanso enfim!

J.C.Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário