Diversas

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Emoções descontroladas




Dispo-me das gotas da chuva, que teimam em sufocar-me,
Tentando que me esqueça de ti,
Fechando-me os olhos, com a água fria,
Que desliza pelo meu rosto, ansioso do teu beijo
E tentando que a visão do teu corpo se ofusque,
Clareio o véu que me tolda o desejo de te ver,
E...
Apareces-me bela, solta, sorrindo,
Cabelos negros ao vento, crinas de potra indomável,
Vens com o teu ar provocante em pose de sensual êxtase;
Caminhas ondulante, gingando as tuas coxas,
Cruzando delicadamente as pernas a cada passo,
Em movimentos de modelo, desfilando na passerelle
Do prazer e da louca vontade de te abraçar,
Prender-te a mim, num amplexo interminável,
Em que os nossos corpos se fundissem,
Na volúpia de emoções descontroladas,
Perdidas na subconsciência da razão
E deixarmo-nos levar no desfalecimento,
Sufocante do beijo que gruda as nossas bocas
E nos fazem atingir o clímax do prazer,
De todos os sentidos.

José Carlos Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário