terça-feira, 1 de novembro de 2011

A loucura do sentir




Quando te olhei fiquei deslumbrado,
Os teus olhos tinham o brilho do sol,
Iluminavam o meu sentir,
Transtornavam-me a razão,
No querer te tocar!
Os teus lábios sensuais,
Fascinaram-me no desejo de os beijar,
Perturbaram-me na vontade,
De sentir a tua língua tocar a minha;
O abraço em que nossos corpos se uniram,
Permitiam- me sentir as tuas coxas,
E a tua pele quente, que queimava as minhas mãos,
E o desejo de me sentir em ti!
Ficámos assim por tempos perdidos,
Na razão do inconsciente;
As nossas bocas sufocavam no beijo interminável,
De prazer indescritível;
O fogo que nos invadia,
Fazia de nós a lava do vulcão em explosão;
E eu sentia-te toda em mim,
Numa louca volúpia de prazer,
E luxúria fazendo-nos esquecer o mundo.

José Carlos Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário