Diversas

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Aquieto os pensamentos



Vagueiam-me os pensamentos, pelos minutos
Deste tempo, que foge ao meu controle,
No desalinho de vivências desatinadas
E que a memória teima em não esquecer!

Tentam as suaves brisas, soprar bonanças,
Sossegando tempestades, de emoções perturbadas,
Arrastadas por vendavais de sofridas dores!

E na acalmia desta brisa que me abraça,
Entro numa espiral de um sentir relaxante;
Invento paixões escondidas nos astros,
Ilumino a alma com o cintilar das estrelas,
Deixo entrar em mim, os sons impercetíveis
Das aves, que me voam, protetoras!

Ecoa no meu peito o grito de liberdade,
Que abre as amarras das minhas vontades, por realizar
E dos meus sonhos jamais concretizados!

Deixo-me envolver nesta utopia,
Que me prende ao desejo quimérico;
Aquieto os pensamentos,
Sossego a memória,
Esmoreço o corpo,
Saio de mim...
Voo livre, enfim!

José Carlos Moutinho

1 comentário:

  1. Os pensamentos, fogem mesmo ao nosso controle,
    e as vivências desatinadas, que nos ficam na memória somos nós, apenas.
    não é merecedor esquecê-las!!

    emoções perturbadas e dores fazem parte do nosso caminhar e, sim, se nos elumina a alma quando aquietamos os pensamentos, e voamos para a liberdade que nos pertence!!

    abraço

    ResponderEliminar