Diversas

sábado, 18 de fevereiro de 2012

És o meu porto de Abrigo




Invento-te nas horas que virão
Deste meu tempo esmorecido,
Nos caminhos de amarga ilusão;
Que sejas meu porto de abrigo!

Encosto-te no meu peito dorido
Por dores de saudade pertinente,
Quero o passado esquecido
E viver com amor para sempre!

Sem ti, mulher doce e amada
A minha vida não tem sentido,
Iremos juntos nesta estrada...

Jamais me sentirei esmorecido,
Estarás comigo na alvorada
De cada momento nosso vivido!

José Carlos Moutinho

2 comentários:

  1. Olá!
    As dores da saudade muitas vezes não são superadas.Mas tem dores que fazem bem lembrar.
    Grande abraço
    se cuida

    ResponderEliminar