quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Se eu fosse brisa





Ah...mas como eu gostaria de ser brisa,
Que suavemente te beijasse
E no meu sussurrar,
Quase silencioso te falasse do meu amor!
Abraçar-te-ia no sopro quente de mim
E envolver-te-ia num abraço,
De doces e palpitantes sensações!
Levar-te-ia junto do meu peito
E bem juntinhos...
Como as nuvens que nos afagam,
Voaríamos sobre vales de calmaria,
Subiríamos as montanhas das emoções,
Sulcaríamos os mares das ilusões
E nas ondas dos prazeres inventados,
Deixaríamos os nossos sentidos,
Serem levados na inconstância das marés,
Atravessaríamos o horizonte
E quando o sol cansado lá no firmamento,
Beijasse o mar...
Eu deixaria de ser brisa
Os nossos corpos acoplar-se-iam.

José Carlos Moutinho

2 comentários: