quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Viajando pelo sonho




Dispo-me dos fragmentos dolorosos da vida,
Abraço-me aos instantes feitos sonhos
E deixo-me levar nas ondas de um novo sentir;
Esqueço a escuridão de nuvens passageiras,
O sol que desponta em aurora luminosa,
Afaga-me o coração,
Acalentando-o do frio de invernos passados!
Olho o firmamento
E numa ilusão quimérica,
Sinto-me com uma pena
Que voa livre, indomável e sem destino!
Sigo o ritmo das marés solares,
Penetro em mares estelares,
Mergulho na suavidade das águas voláteis,
Descanso serenamente nas rochas lunares!
Reparo num ponto infinito,
Insignificante que vislumbro lá longe,
Quiçá seja a Terra que me chama,
Recuso-me retornar,
Não quero voltar ao desassossego da alma,
Muito menos às dores do corpo,
Nem tampouco aos dissabores
Que nos causam os humanos!
Semicerro os olhos,
O Luar envolve-me,
Suspiro...
Toco com os meus pés
O chão da Terra!
Despertou-se o sonho.

José Carlos Moutinho

1 comentário:

  1. Olá!
    Quisera eu poder não acordar dos sonhos bons.Mas um dia a gente acorda e se decepciona.
    Grande abraço
    se cuida

    ResponderEliminar