quarta-feira, 28 de março de 2012

Luar





Se a tristeza me busca na solidão do meu pensamento,
É no abrigo do manto azulado do Luar que me conforto
E bebo da serenidade vinda do firmamento,
Que me aquieta o desassossego do meu sentir!
Sorrio-me na visão do imenso globo,
Que se me depara perante os meus olhos humedecidos,
Pela saudade que me invadia a alma
E que agora, suavemente vai-me libertando,
Das amarras da melancolia,
Trazendo-me a acalmia das minhas emoções,
Antes desatinadas!
Deixo-me envolver por este azul celeste
E levo-me em sonho por mim inventado,
Com as estrelas a iluminarem-me,
Pelo céu, estrada do meu prazer,
Cavalgando um cavalo alado
Entrego-me no abraço que o Luar me oferece.

José Carlos Moutinho

3 comentários:

  1. .


    Muito bom o seu trabalho.
    Vou seguir seu blog para
    dar força ao que já é for-
    te.

    Um abração,

    silvioafonso






    .

    ResponderEliminar
  2. Jose Carlos e a tristeza me busca na solidão do meu pensamento,eu me entrego a lua ao alivio profundo que ela me traz até a madrugada
    Um abraço da tua e sempre amiga Anita

    Felicidades para ti e tua família

    ResponderEliminar
  3. E se a lua oferece-te o céu como a estrada de seu ser, então, porque não cavalgá-lo?
    Um abraço

    ResponderEliminar