segunda-feira, 19 de março de 2012

Meu PaI




A minha memória de ti, pai,
Ficou eternamente marcada em mim,
Na fragilidade do meu ser,
Que tu, pai pouco depois deixavas de ver!

Partiste cedo,
Não viste crescer o rebento
Que fecundaste
E que regarias com o teu amor,
Mas secou-te a seiva do teu coração
E deixaste de cuidar do teu jardim!

Mas eu sei Pai...
Que no cintilar das estrelas,
Envias-me a tua luz,
Para que eu não tropece nos escombros,
Escondidos na escuridão da vida!

Sinto que abres e me levas pelos caminhos,
Da honra e dignidade,
Que tu tanto defendeste!
Obrigado meu Pai, pelo caracter bom
Que eu herdei de ti!

Um dia, Pai, vamos dar-nos os abraços,
Que não tiveste tempo de me dar!

Senti falta de ti na minha caminhada,
Mas fui compensado duplamente,
Com o amor da minha mãe,
Do teu, que não pudeste dar-me!
Ela, Pai, foi a minha mãe e o meu Pai
E tu bem sabes disso.
Quero um dia encontrar-vos juntos,
Até lá...

José Carlos Moutinho
19/3/12

Sem comentários:

Enviar um comentário