quinta-feira, 19 de abril de 2012

Os Ciprestes




Levo-me no abraço dos verdes ciprestes,
Por este caminho de calorosas curvas,
Do teu corpo...
Na suave textura da tua pele,
Faço chão da minha caminhada,
Em deslizantes impulsos de sensações,
Que torna ruborizada a tua derme
E sôfrega a tua respiração,
Nesta dança sufocada,
Por osculações delirantes,
Num frenesim de braços e pernas,
Que se atropelam e se fixam,
Como os caules das flores
Se agarram ao chão macio e húmido,
Dos leitos onde se deitam,
Na semelhança das pétalas que te acolhem,
No rodopiar dos desejos descontrolados
Neste chão que nos agarra
E como imã nos subjuga,
Tornando-nos seus servos,
Na volúpia feita loucura,
Onde eu deslizo pelas curvas
Do teu corpo, meu caminho,
Sob os olhares dos verdes ciprestes.

José Carlos Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário