sexta-feira, 27 de abril de 2012

A tua pele de fogo




Chegaste na tarde quente de verão,
Agasalhada pela tua pele de fogo,
Que se faz desejar,
No meu corpo frio da espera de ti!
Deslizas por mim, como lava que escorre
Do vulcão da tua louca vontade de entrega,
Que se funde na minha ânsia em ti!
Moldas-te escaldante, como serpente
Ao meu corpo...
Enroscas-te na tremura dos meus braços,
Colas-te aos meus lábios,
Que fervem ao toque dos teus,
Num frenesim!
Soltam-se delirantes os meus pensamentos,
Levados pela emoção do teu vibrar palpitante
E entregamo-nos ao delírio,
De uma paixão incontrolável,
Em volúpia de suor, dor e prazer,
Que se perde na razão do consciente
E se entrega à razão da carne!

José Carlos Moutinho

2 comentários:

  1. Muito bonito este poema.
    Uma intensidade grande, de pele.

    ResponderEliminar
  2. Muito talentoso, José. Muito mesmo. Adorei seu blog. :]
    Desde já, sou seguidora. Espero que se der, você dê uma passadinha no meu. E se gostar, me siga também.

    http://tatian-esalles.blogspot.com.br/

    Abraço, ótimo feriado.
    Tati.

    Att.

    ResponderEliminar