domingo, 8 de julho de 2012

Saudade reavivada




Quando as horas se tornam ociosas do meu tempo
e me levam em devaneios por aí...

A tua imagem surge-me em ausência,
dos instantes loucos, acobertados pelos luares
nas noites cúmplices...
Quando o meu corpo deslizava pelo teu
no escaldante atrito,
das resfolegantes escaladas,
como por montanha em ebulição,
de desejos extravasados nos suspiros!
O meu respirar que te bebia,
da tua boca sôfrega e húmida pela paixão,
através dos teus lábios
que se ressequiam na minha avidez!

Canso-me neste pensamento que me transcende
na saudade daquelas horas, jamais ociosas,
pela fogosidade da nossa juventude!

A sensação de perda,
Da pujança de um outro tempo,
ofusca-me agora,
neste meu tempo que célere me ultrapassou,
mas que a saudade reavivou.

José Carlos Moutinho

1 comentário: