segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Na acalmia do luar





Sento-me no chão dos meus pensamentos,
deixo-me abraçar pelo sol que te imagino,
na forte emoção imbuída de sentimentos
por ti, minha amada, meu doce desatino.

Penso-te em mim, no abraço que me sorri,
vagueio pelos instantes suspirados de paixão
das tardes de delírio, em alucinante frenesi,
deslizados pelas paredes da nossa emoção.

Acompanhadas pelo ritmo do meu coração,
cantam-me melodias em pétalas de amor,
será o teu respirar, metamorfoseado de canção,
ou talvez, o teu coração que se faz cantor.

Quero o aconchego no abraço das sensações,
num sentir de turbilhões que nos faça voar
pela magia do prazer de vibrantes emoções
e serenar os nossos corpos, na acalmia do luar.

José Carlos Moutinho

1 comentário: