terça-feira, 8 de julho de 2014

Quando eu partir





Serei pretensioso, quiçá, até um pouco vaidoso,
gostaria, quando um dia, desta vida eu partir,
que falassem de mim, como um amigo saudoso
e de  alguém que nesta vida, jamais soube mentir.

Apeteceu-me fazer estes versos,sem demagogia,
foi um suspiro do meu coração repleto de ilusões,
sei que serei comentado, bem ou mal, algum dia,
faz parte da vivência de todos nós, sem distinções.

Confesso que se dissessem que eu fui um poeta,
lá no Além, sentiria emocionado, uma enorme alegria,
porque criei com a minha escrita de forma directa
a magia para que as palavras se colorissem de poesia

José Carlos Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário