As gaivotas voam

quarta-feira, 30 de maio de 2018

Os teus dedos


Quando me acaricias suavemente
com as polpas dos teus aveludados dedos
flutuo na lua, sei lá, num desejo veemente
de te abraçar com paixão sem medos...

Meu corpo estremece, minha voz emudece,
sorrio num arrepio extasiado, silencioso de paixão,
perco-me num devaneio que me enlouquece,
o ar ausenta-se de mim, bate forte meu coração...

Guardo cauteloso dentro de mim os segredos
quando, na solidão, eu sentir falta dos teus dedos

José Carlos Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário