As gaivotas voam

quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Soneto de sentimento vazio



Foste sopro de passagem do tempo
vinda numa tempestade encharcada
de uma noitada de deslumbramento
que esqueci e de ti não deixou nada

Creio que em ti, de mim nada ficou
como o sopro, a tempestade partiu
daquela noite nada mais restou
o que partilhámos mais ninguém viu

Como as folhas que voam, são os instantes
que não deixam quaisquer recordações
se os sentimentos são simples andantes...

A vida é também, assim, passageira
que pode marcar ou ignorar alguém
e para o evitar não temos maneira

José Carlos Moutinho
30/8/18

Plágio é crime punido pelo
Decreto-Lei, nº 63/85
dos direitos do autor

Sem comentários:

Enviar um comentário