segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Novo Ano...E agora?





Novo Ano...E agora?
Que nos vais trazer tu, Novo Ano,
engalanado com as cores do 2013,
não te esqueças que ainda não nos libertámos
das brumas de tristeza que o teu antecessor nos deixou...
Trarás tu, pão para os famintos,
mantas para os que morrem enregelados
sob viadutos, lares esventrados,
ou virás tu, de mansinho, sorrateiro
enganar-nos também, como fizeram os outros?
Esperamos que consigas, Novo Ano mudar a cabeça
dos políticos incompetentes,
fazer deste país, um local digno para se viver!
Olha Novo Ano, nós, povo, como sempre,
estamos de olho em ti e esperançosos que faças algo,
como já estávamos com 2011
e ficámos frustrados com 2012,
que vergonhosamente nos enganou,
dissera-nos que a tal crise acabava agora contigo...
Porém, nos últimos dias, veio desmentir tudo,
cambada de mentirosos que vós sois,
por esta razão tens de ser forte e mostrar a tua boa vontade!
Iludem-nos com promessas, como aquelas balofas frases:
Feliz Ano, Bom Ano Novo...
E deixam-nos cada vez mais na tanga!
Ou tu 2013, ganhas juízo e nos trazes algo de bom,
ou mudamos-te de calendário, passaremos a usar o chinês,
já que são estes que começam a mandar neste país troikano

Novo Ano...e agora?

Todos nós gostaríamos que tivesses coragem
de nos responder, mas não... Ficas calado
e no silêncio da tua ausente resposta,
sofremos com desempregos, fome e frio,
somos ridicularizados pela arrogante ditadura alemã
que já se esqueceu que um dia esteve pior que nós!

Contamos, piamente contigo 2013
contamos mesmo...
Faz com que os políticos, postiços doutores, emigrem,
traz de volta os nossos jovens licenciados e patriotas,
forçados a fugir da miséria, por falta de emprego...
Acaba com os vendilhões que por aqui pululam e nos dizimam,
neste pobre Portugal desgovernado de futuro incerto!

José Carlos Moutinho
12/2012

sábado, 29 de dezembro de 2012

Sonhos e quimeras





Quisera que o tempo se transformasse em quimera,
que o teu sorriso,
fosse flor perene do meu encantamento;
Que o brilho dos teus olhos,
fosse luz do meu caminhar!
Quisera que os teus braços,
fossem pilares do meu viver,
onde em momentos de insegurança,
eu me apoiasse em doce amplexo!

Ah...como quisera eu,
que este mundo fosse um jardim
de belos perfumes
em cores de fantasia,
e, nos murmúrios da tua voz quente,
eu me aconchegasse,
pela melodia que me fascinasse,
no deleite da minha emoção!

Mas tudo não passa de utopias,
que e a minha mente ávida de sensações
anseia encontrar
em galáxias de ilusão!

Pensar que o simples luar,
seja o manto da esperança,
que transforme os invernos da vida,
em futuros paraísos de outonos matizados,
onde os sonhos se façam reais,
no alvorecer dos dias floridos,
abraçados a novas primaveras
Em constantes  e inventadas quimeras.

José Carlos Moutinho

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Saudade, deixa-me





Porque teimam as saudades em me atormentar,
insistindo em fazer-me recordar o passado,
se nada de novo trazem para o meu viver!
Quero esquecer tudo que se esfumou,
nas brumas do cacimbo tropical!
Deixem-me em paz,
Na serenidade do meu esquecer,
De que adianta lembrarem-me
das minhas capacidades atléticas
da escola primária...
E dos meus primeiros amigos...
Que interessa agora relembrar
aquela rapariga bonita morena,
de cabelos negros e porte altivo,
que eu, ingénuo adorava (ou amava...)
se tudo é passado!
De nada mais valem as recordações
da minha juventude,
exacerbadas por paixões reprimidas
da minha adolescência!
A minha vida correu pelo tempo,
numa velocidade estonteante,
e os sonhos não passaram de quimeras,
que a realidade mostrou não serem ilusões,
adornadas em doces utopias!
Por tudo isto, saudade,
deixa-me, finge que não me conheces,
e eu não tive todos aqueles momentos
inesquecíveis,
do meu tempo, que o tempo consumiu!
Vai-te, para longe, saudade,
evapora-te nas nuvens do passado,
permite-me que eu viva sossegado,
a minha particular saudade.

José Carlos Moutinho

domingo, 23 de dezembro de 2012

BOAS FESTAS....





DESEJO TUDO DE BOM A TODOS OS MEUS AMIGOS, NESTE NATAL.

Com o meu OBRIGADO especial a todos que me lêem, em geral!
Em particular aos que adquiriram os meus livros!

sábado, 22 de dezembro de 2012

BOAS FESTAS...

Desejo a todos os meus amigos que me leem e em especial aos que passam por este meu blog, um NATAL muito feliz, com muita paz, harmonia, amor e bastante saúde para enfrentarmos as agruras da vida!!!




SEJAM FELIZES, MEUS AMIGOS. OBRIGADO PELA VOSSA PRESENÇA E POR ME LEREM!!

Pensamento solto





Tardes preguiçosas,
coladas à alma do meu pensamento
que vagueia por céus azulados,
pontilhados de minutos de felicidade,
disseminados em horas de incertezas,
vividos sobre ondas de paixões,
desfeitas na espuma das desilusões!
E o pensamento solta-se,
sem amarras, segue o seu curso,
atravessando nuvens de liberdade,
selecionando os bons instantes,
olvidando os menos vibrantes,
na busca do horizonte da felicidade!

Deixo-me levar no espirito do meu pensar,
por vales, montanhas e mares sem parar,
esta força que me impele com a certeza,
de encontrar um mundo, com mais beleza! 

Saio do corpo que me subjuga os sentidos,
deixo-me levar na quimera dos sonhos,
isenta de dores e queixumes sofridos,
procurarei utopias em jardins risonhos!

José Carlos Moutinho

Natal que me entristece





Já são poucas as horas para o dia especial,
que todos anseiam, uns por motivos nobres,
outros para comemorarem só porque é Natal,
felizmente que muitos se lembram dos pobres.

Nesta quadra que deve ser festiva, é para mim
a mais melancólica e que me deixa mais triste,
sempre me lembro dos infelizes, de triste fim
onde sem teto, a fome e o frio sempre existe.

Que neste frio Natal, Jesus se lembre deles,
dando pão, para saciarem os estômagos gelados,
mantas para iludirem o frio, que lhes rasga as peles,
pois se são humanos, porque são abandonados?

Se cada um de nós se lembrasse dessa gente,
e que no esbanjamento cedesse uma côdea de pão,
o mundo não seria tão injusto e confrangente,
porque em cada alma solidária sorriria o coração.

José Carlos Moutinho