segunda-feira, 23 de maio de 2011

A Natureza




Abraçam-se as nuvens, lá bem alto
E dançam num ritmo endiabrado
Cantam enquanto se rodopiam
E na sua loucura provocam-se entre si
Num atrito explosivo
Que lhes provoca lágrimas de alegria,
Que caem, por vezes abruptamente
E nos dias ensolarados, como que mágica colorida
Oferece-nos a delicadeza do arco-íris,
Que nos encanta
As lágrimas secam,
O Sol brilha mais forte e resplandecente
E o arco-íris permanece no seu deslumbramento
Como uma miragem
Numa quase circunferência de cor e luz
É natureza no seu esplendor
Que alimenta os nossos olhos com a beleza pura
Depois da evaporação, que se torna em algodão
Após afagos e apertos, carícias e outros mais
Este namoro transforma-se em condensação
E a terra é abençoada pela água da vida
Caída dos céus.

José Carlos Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário