Diversas

domingo, 6 de janeiro de 2013

Brumas do tempo





Rodeio-me de silêncios
em tardes vazias de sol
escurecidas pelas brumas do tempo!
Contemplo o vazio que me sufoca
e me envolve de melancolia!
Contrai-se-me o peito,
em agonia de um sentir calado,
pelas palavras que não foram ditas
nas noites de ventos fustigados pelo frio
vinculadas por atitudes apagadas
de sentimentos esmorecidos
nas sombras que escorregavam
pelas paredes entristecidas
na lembrança de outros momentos
onde os suspiros de prazer
soavam melodias de amor!

Agora este vazio de nadas que me tortura,
empedernido de melancolia,
alinhavado na esteira da nostalgia
colado nas fragas da saudade.

José Carlos Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário