sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Desassossego



Deixo-me embalar nos braços das minhas ilusões,
invento quimeras em arco-íris, nunca desvendados,
respiro brisas que me alentam em novas sensações,
anseio por ardorosos amores e beijos apaixonados!

Navego-me em pensamentos por galáxias coloridas,
sossego o meu agitado coração
no luar que me acalma a ansiedade
do amor esmorecido pelas noites silenciosas!

Agito-me neste espaço que me condiciona
e me sufoca, pela ausência de um abraço,
Um simples amplexo, cujo calor da paixão
me despertasse desta letargia que me invade,
que desabrochasse novas alvoradas de amor!

Que as pedras das calçadas sorrissem
em inocentes utopias,
e das negras nuvens chovessem pétalas
de corações, exaltados pela alegria,
de verdadeiras paixões e felicidade!

Se as ilusões quiméricas,
que nos agitam os sonhos,
voassem até ao âmago da nossa alma,
como pombas brancas
e das alvas penas, se fizessem ninhos,
onde se aconchegasse eternamente o amor,
então eu acordaria definitivamente...
Para a vida.

 José Carlos Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário