sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Saudade




Saudade…
Palavra de imensa doçura no seu murmurar.

Sau-da-de…

Abraçam o teu soletrar, miríades de visões;
Quantas emoções vividas,
São despertadas por ti, Saudade…
Escondes tantos mistérios,
Que só tu, consegues reviver!

Ai, ai, fascinante Saudade…

Momentos vividos que o tempo afastou,
Mas que tu, saudade, insistes em acordar;
Tantas paixões esmorecidas,
Tantos beijos sufocados,
Oh…quantos abraços foram a alegria dos instantes,
Que na distância das horas esmoreceram;

Saudade és singela e apaixonada

Quando a nostalgia nos invade,
Vens na brisa do pensamento, Saudade,
Meiga e companheira chamar a ti,
Aqueles átomos das nossas vidas,
Que se vão evaporando
Nos Outonos das nossas memórias!

Ah Saudade… Saudade…

Existirás eternamente na ternura,
Do teu sentir e no recordar do passado;

Tenho saudade de sentir Saudade!

Saudade, substantivo feminino,
Com toda a beleza e cor do seu encanto,
Que jamais poderia deixar de ser inventada;
Que eu sinta saudade por todo o meu sempre!

José Carlos Moutinho

5 comentários:

  1. Belo poema de saudade que me provoca um aperto no muxima.
    É um prazer ler as suas postagens e embora seja a primeira vez que
    comento algo seu não resisto a deixar-lhe um kandando.

    ResponderEliminar
  2. Um Kandando em prol da saudade bem explicita no belo poema

    ResponderEliminar
  3. Muito grato pelo comentário...um forte kandandu.....

    ResponderEliminar
  4. Muito grato pelo comentário...um forte kandandu.....

    ResponderEliminar
  5. ADOREI ESTA SAUDADE...LINDA!

    ResponderEliminar