quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Conspiração dos sentires





A alegria esvoaçava pelos ares,
em pétalas de delicadas flores!
Ouviam-se melodias tocadas em violinos de sonhos
numa sinfonia de felicidade!
Sorrisos refletidos em místicas utopias
Que inventavam desejos!
O sol brilhava mais intensamente,
nos corações enfeitiçados pelo calor da paixão!
Pensamentos feitos canções
que afagavam sentires exaltados!
As tardes esmoreciam nas mãos dos amantes;
A brisa deslizava entre os dedos das caricias
que se faziam delírios!
O mundo girava num carrossel de fantasia,
tudo era belo, sem mácula;
Sentiam-se no ar, aromas de amor,
flutuados em cachos de quimeras;
A maresia que nos invadia o respirar,
trazia o perfume da ilusão,
de viajar em ondas de deslumbramento,
por mares de doces devaneios;
O luar que se fazia sentir,
na despedida do sol cansado,
oferecia a serenidade do amor
e envolvia-nos num doce abraço,
que nos enlevava em ternura delicada,
na paixão de um amor profundo.

José Carlos Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário