Diversas

quinta-feira, 3 de julho de 2014

Noite enluarada





Eram suspiros que esvoaçavam
pela noite silenciosa,

Melodias que entoavam paixões
ao luar cintilante,

Eram abraços que se apertavam
nos recantos dos jardins,

Sorrisos timidos
escondidos em lânguidos beijos,

Era o alvoroço dos corpos em êxtase,
o suor que molhava os rostos,
e o resfolegar que cortava a respiração,

Era a noite enluarada
que gerava prazer
na complacência das estrelas,

Era...a paixão
era o vulcão que explodia
e derramava lava
pelos corpos cansados,

Era... simplesmente
em toda a sua pujança,
o amor.

José Carlos Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário