quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Mariposas loucas





Vendavais de nadas em vozes roucas
sopram luzes apagadas pelos breus,
são como mariposas que voam loucas
e embora tentem, jamais chegam os céus.

Voam, voam, sem procurarem destinos.
são seres inúteis, vazios e deslumbrados.
serve qualquer vitima para seus desatinos,
abocanham como abutres, os mais atinados.

Mas o sol e a lua desprezam tudo isso,
continuam a iluminar este mundo desvairado,
fazem de tudo para que ninguém seja omisso
a fazer da amizade e da honra, um tratado.

José Carlos Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário