domingo, 2 de abril de 2017

Eu e o meu mar




Vou até ali
pertinho daqui
onde o mar me espera,
quero beber dele a serenidade,
aspirar-lhe o perfume da eternidade
e passear o meu olhar sobre o seu dorso…

Sei que ao contemplá-lo,
sentado numa das pedras da utopia
sentirei no meu peito a frescura da imaginação,
que, de vez em quando, se transforma em poema…
Nem me preocupa se é um bom poema
ou um grito da minha alma…

Nem sei sequer, o que é um bom poema
ou até se estes existem...
o que sei, isso posso afirmar,
é que o mar me seduz, me inspira
e escrevo inebriado pelo seu encanto misterioso
que me leva em devaneio até ao seu horizonte
onde ele se abraça ao céu azulado…

Então, feliz, fecho os olhos e navego…
Navego…

José Carlos Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário