quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Desalento

Caminha pela rua,
Calçada, de pedras frias
Como frios
São seus sentimentos.
Vai em busca do impossível,
Encontra o vazio da esperança.
Nada!
Desalento
Numa vida triste
Sem sentido.
Até o sol,
Lhe nega o brilho
De sua luz,
Neste dia pálido,
Mas continua,
Inexorável.
É envolvido por flores
Da alegria.
Sorri,
Sorriso tímido,
Descrente.
As folhas das árvores
Roçam-lhe o rosto,
Querendo estimulá-lo
Para a vida
Caminha...
Cansado, pára
Pensa,
Reflecte
E volta a ter fé
Para  continuar a lutar,
Pela felicidade.

J.C.Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário