quarta-feira, 6 de abril de 2011

No teu abraço o equilíbrio




Nas madrugadas vazias de ti,
Invade-me a nostalgia,
Pego na mão do vento
E voo em busca do teu sorriso,
Só ele me trará a alegria
E o sentido de viver.
É no teu beijo que encontro,
O alimento para a minha alma
E a liberdade para o meu coração.
No teu abraço o equilíbrio,
Para enfrentar os desafios temporais.
Nas ondas do teu corpo, navego
E me deito, nos instantes de solidão,
É o meu porto seguro,
Nos lapsos do tempo que se esvai.
O esvoaçar dos teus cabelos longos,
São como velas enfunadas,
Que nos levam nesta nau,
Ao ancoradouro firme,
E sublime da felicidade.

José Carlos Moutinho

1 comentário:

  1. Lindo poema, meu amigo!
    «No teu abraço o equilíbrio,
    Para enfrentar os desafios temporais.
    Nas ondas do teu corpo, navego
    E me deito, nos instantes de solidão,
    É o meu porto seguro,
    Nos lapsos do tempo que se esvai.»
    Um porto seguro por palavras poéticas.Adorei.
    Bjito amigo

    ResponderEliminar