Diversas

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Caos




Velhos caminhos por florir,
Memórias vividas e esquecidas,
Montanhas surdas aos lamentos,
Gritos estrangulados, sem som,
Peitos doridos pelas mágoas,
Amores controversos e belicosos,
Tempestades de desalentos,
Chuvas secas pelas desilusões,
Estrelas sem brilho, escurecidas por desencantos!
Rios congelados por águas paradas da intriga,
Gente que corre, sem saber para onde;
Árvores com folhas que não se agitam ao vento,
Pensamentos que se perdem no vazio,
Vontades esmorecidas na escuridão;
Olhos que se perdem no horizonte,
Sem verem que o sol se apagou;
Esperanças desfalecidas,
Horas que morrem,
Ilusões que não nasceram,
Sonhos, que jamais serão sonhados;
Ventos que deixaram de sibilar,
Brisas, que não mais acariciam
E a lua, simplesmente desapareceu!

José Carlos Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário