Diversas

domingo, 31 de agosto de 2014

Luar cupido



Naquela noite de verão,
quiçá miragem ou ilusão
senti ao ver aquela mulher,
que me olhava sorridente,
deixou o meu coração ardente,
o que será que ela me quer.

Sorrimos no olhar cativo
nascido do vibrar sentido,
cantado pelo coração,
e no abraço acalorado,
nosso amor ficou marcado
por imensa e doce emoção.

Do luar doce cupido
nasceu o poema atrevido
do nosso destino meu amor,
teremos a Lua parceira
do amor, até que Deus queira
e desta paixão com ardor.

Que seja eterna esta paixão
E do amor se faça canção,
Por nossa vida cantada,
felicidade presente
e com a tristeza ausente,
junto de ti minha amada.

José Carlos Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário