terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Sem abrigo





O frio mordia-lhe a pele,
o vento açoitava-lhe o corpo
e arrastava os lençois de cartão,
a chuva impiedosa ensopava-lhe a alma!
Era muito triste a sina dele,
o destino prostava-o como morto,
sem dói, em total e desesperada desilusão
numa vida miserável impelindo-o a forçosa calma!

Mundo este, de desvarios e desilusões
que o arrastava pelos ventos do nada,
onde jamais encontraria o futuro
que para ele nunca existiu,
porque a luz do seu nascer
condenou-o a uma peregrinação
por caminhos de pedras agrestes,
obstáculos ao seu inexistente porvir.

José Carlos Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário