domingo, 8 de fevereiro de 2015

Mar que me marulha





Navego serenamente nas águas
deste mar imenso que marulha em mim,
escondo nas ondas as minhas mágoas
para que não precipitem o meu fim.

Faço remos com a minha coragem,
deixo-me ondular ao sabor do vento,
dos reflexos do sol, teço miragem
e lá vou eu pelo mar a meu contento.

Meu peito enche-se de belas fantasias
na ânsia do porto de abrigo de alegrias,
navego-me feliz contra vendavais…

A vida é chorar é sorrir é cantar
num tenaz oscilar sobre ondas do mar,
quero um dia fundear na acalmia do meu cais…

José Carlos Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário