Diversas

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Fonte da imaginação





Da fonte da minha imaginação

nascem fios de  pétalas de poesia,

que correm nas veias como uma canção

e perfumam meus dias de nostalgia.



São instantes delicados do inventar

que me levam a sonhar quimeras

e a fazer das palavras verbo amar,

se as saudades me tecem esperas.



Deslizam por mim caudais de versos

que eu enredo  juntos, ou então dispersos

e componho um lindo poema de amor…



P’las margens das águas da fantasia

meus sonetos e eu, em total sinergia,

florimos metáforas com fulgor.



José Carlos Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário