sexta-feira, 23 de outubro de 2015

Caminho pelo parque





Enquanto caminho pelo parque dos meus pensamentos
sinto no meu rosto os salpicos de um tempo ausente,
levanto os braços, aperto a nostalgia em minhas mãos,
espremo-a entre os dedos e atiro-a longe,
quero sentir somente a brisa do agora
que embora fresca, aquece minha alma solitária!

Olho o céu, creio ver mares e desertos
que se entrelaçam em abraços de espuma e areia,
fecho os olhos, sorrio-me ingenuamente
sentindo-me criança sonhadora e inocente
e caminho pelo parque ajardinado e florido
como se o oásis se fizesse presente
nesta cidade enorme e deserta de sentimentos!

Estugo meus passos, assustado pelo vento
que inesperadamente acordou e sopra realidades
deste tempo, que agora me envolve e assusta...

Circulam pessoas de rostos sorridentes, passeando cães
Outras, correm, sombrias, como se o mundo fosse acabar
e as folhas verdes das árvores agitam-se
observando todo este movimentar das gentes
deste mundo de contrastes, alegrias e tristezas em que vivemos
e por que é verão nesta tropicalidade que eu respiro
deixo-me levar pela saudade do Outono dos meus pensamentos.

José Carlos Moutinho


Sem comentários:

Enviar um comentário