segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Equilíbrio mental





Andei por caminhos que se distanciavam de mim,



evitei atalhos que sorrindo me chamavam,



encontrei pontos de equilíbrio no vazio,



recusei alegrias inventadas,



segurei-me a ramos suspensos



agitados pelo sopro da ventania,



e fiz-me caminhante com destino traçado,



rumo a um imaginado porto de abrigo



que me trouxe a serenidade



que me vai iluminando o futuro,



apagando as mágoas escondidas



no âmago do meu sentir!







Minha caminhada é calma,



desvio-me da acutilância das palavras,



faço ouvidos moucos às tempestades,



sorrio-me aos relâmpagos da ignomínia



ignoro os murmúrios cinzentos



da invidia brisa,



pois vejo nas estrelas a luz do  horizonte



da minha realização pessoal.







José Carlos Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário