sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Voei nas asas de um livro





Caminhava eu feliz
pela serenidade da minha vida,
quando de repente, tão de repente
como o sopro do pensamento,
decidi voar pelos céus dos sonhos
e nas asas de um livro,
voei por entre palavras e estrofes,
abracei-me à poesia
adormecida em mim…
E que, de repente, tão de repente
renasceu ansiosa
sorrindo ao sol que a acalentava,
deixando-se levar num voo doce e rápido,
atingiu a lonjura…
Parecia irreal, talvez até surreal!

E as minhas palavras que se ausentaram
por tantos anos do alvo papel,
despertaram da minha distante adolescência,
atreveram-se  numa temeridade inabalável
e…simplesmente voaram…
voaram nas asas de outros livros,
comandados pelo primeiro, com autoridade
e todo o respeito que lhe é devido!

E eu, que de repente, tão de repente acordei
de um sonho nunca sonhado
mas que se tornou realidade,
estou eternamente grato
ao meu primeiro voo
nas asas do “Cais da Alma”

José Carlos Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário