Diversas

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Horas doridas





Há dias em que as horas me doem
tento ignorá-las,
mas elas colam-se em mim,
então fecho-me no meu casulo
e escuto os murmúrios do vento
que melodicamente me acalmam…

Como um provérbio: horas doridas vão,
outras sorridentes, virão
a vida está em constante mutação!

A alegria é um sentir que desabrocha
da flor perfumada da felicidade,
basta deixar que as pétalas
acariciem as nossas mãos
e aspirarmos o néctar da vida
para que os jardins da paz floresçam!

Agora nesta quietude que me sorri,
entrego-me à minha inspiração,
esqueço as dores que eu senti
escrevendo este simples poema,
que vos ofereço com emoção.

José Carlos Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário