terça-feira, 21 de abril de 2015

Estrada da vida




Na estrada da vida
pelo tempo percorrida,
com margens floridas
tantas árvores caídas
em louca corrida.

Quando pensamos serena
a nossa alegre viagem,
algo surge na viragem
desta passagem terrena
tão subtil como a aragem.

Será percalço talvez
ou algum desejo sem vez,
será desígnio findado
escrito como um fado
onde a sorte se desfez. 

A estrada pode ser curta
simbiose de bela e bruta,
há que olhar o horizonte
colher a paz da fonte
por que a vida é uma luta.

José Calos Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário