quarta-feira, 3 de junho de 2015

Noites que chegam






As tardes choram com tristeza,
por que as noites chegam,
trazendo consigo a solidão
e no breu das horas vazias
lágrimas brotadas da fonte da nostalgia
que afogam os soluços da melancolia…

Desliza lentamente o tempo
no desespero calado das insónias
e dos pensamentos que se confundem,
em atropelo entre sonhos utópicos
e atrozes pesadelos…

E a escuridão das noites
tarda em ceder lugar à luz,
o tormento é resiliente à alegria
que, quiçá, venha com a alvorada…

Os olhos cansados
pelas noites desacordadas
vão-se fechando incapazes
de resistirem a hercúleo esforço,
o coração bate exangue
pelo choro que o sufocou
e a alma cansada,
adormece nas cores do arco-íris
da madrugada que acordou.

José Carlos Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário