quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Amigo, ignora os vendavais





Ignora o silvo do vento que te sopra de viés,
Aceita a brisa que te acaricia com suavidade,
Acredita que tudo o que acontece a teus pés
Não prova que teus afectos perderam validade.

Temporais são sustos molhados, arrufos do tempo,
Amizades sinceras são raízes profundas e perenes
Que florescem até, sobre pedra do desentendimento,
Por que as verdades são caminhos iluminados e indenes.

Que em cada abraço haja um sorriso  real de afecto,
Pois na dor e na tristeza, a amizade é a perfeita cura
Ainda que o sentimento tenha um colorido discreto,
É pela paleta de amigos, que a tela eternamente dura. 

Assim amigo, olha para quem te vê de olhos abertos,
Num olhar sem brilho, há ventania que te causará dor,
No caminho dos vendavais encontras males dispersos,
Pelas alamedas floridas da vida, receberás sempre amor.

José Carlos Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário