segunda-feira, 28 de setembro de 2015

Lençóis de Luar






Eram murmúrios que a brisa

trazia nas tardes de aconchego,

eram perfumes que se soltavam

nas carícias de mãos sedosas…



...Ondulavam os trigais dourados

sob as asas das aves

vestidas do vermelho das papoilas…



Alongavam-se os pensamentos

na lonjura dos campos

levados pelos sorrisos

da felicidade aquietada

pelo entardecer que suavemente

se deixava cobrir com os lençõis

feitos de fina cambraia de luar…



Suspendia-se o tempo no silêncio

que lhes invadia as almas

pelo encanto do momento,

abriam-se as janelas quiméricas do prazer

e por elas saía docemente

o som excitado

do batimento de seus corações.



José Carlos Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário