segunda-feira, 14 de março de 2016

Em busca do improvável




Por entre as fragas do pensamento
Florescem orquídeas de brisas
Entrelaçadas por mãos perfumadas

É a força que brota do âmago da terra
Envolta em flores quiméricas
Para que olhos pálidos
Possam valorizar a beleza que ignoram

Deslizam gotas de orvalho
Pelas pétalas dos meus anseios
Que na alvorada do meu sentir
Se fizeram sonhos coloridos

Na acalmia do silêncio que me rodeia
Observo a linha do horizonte azulado
Que separa a montanha do espaço sideral
E recuo no tempo, a outro estado
da génesis da minha essência

Faço-me vagabundo estelar
Invento metáforas terrenas
Planto utopias iluminadas
Visto-me de inquietude
E penso-me poeta alucinado
Em busca do improvável

José Carlos Moutinho

Sem comentários:

Enviar um comentário