As gaivotas voam

SUSPIRO

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Que me interessa

...
Que me interessa o futuro
se nem conheço o presente
e quase já esqueci o passado?

O que eu quero realmente
é tão simples
que se resume numa só palavra:
VIVER
e o sentir dessa palavra
responde pelo passado, pelo presente
e talvez pelo futuro

José Carlos Moutinho
19/9/18

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Sorri

...
Sorri feliz ao sol da alvorada
que timidamente me acordou
adormecera cansado na noite passada
quando o dia anterior de mim se afastou
levantei-me com a preguiça da madrugada
porque inexorável outro dia a mim chegou
lembrando-me que a vida é uma caminhada
que me obriga a sair do preguiçar em que estou

José Carlos Moutinho
17/9/18

domingo, 16 de setembro de 2018

Por ser domingo

Talvez por ser domingo
ou terá sido a utopia
que se lembrou de me visitar
trouxe-me nas asas de um flamingo
uma carta com a mais bela poesia
onde tudo é conjugado no verbo amar,
li e reli a carta e já nem distingo
se era sonho ou alguma heresia
que assim me deixou a pensar
se seria de amor o tal respingo

José Carlos Moutinho
16/9/18

Decreto-Lei, nº 63/85
dos direitos do autor

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Deixa-me

...
Deixa-me agarrar a brisa
e colocá-la na tua mão...
a minha emoção é juíza
do ardor da minha paixão
mas se a brisa desejas recusar
eu te ofereço o sol se quiseres,
é assim este meu jeito de amar
estejas tu onde estiveres

José Carlos Moutinho
14/9/18

Decreto-Lei, nº 63/85
dos direitos do autor

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Voem, desvairadas


Voam por aí algumas aves negras
batem as asas como tempestades,
voam tão baixo que ofendem o vento,
em voos picados chafurdam na frustração
por não conseguirem voar livres como gaivotas,
a ambição ofusca-lhes a visão
tornando-as prisioneiras da sua incapacidade
então voam desatinadas
perturbadas por não conhecerem o sucesso

José Carlos Moutinho
13/9/18

Decreto-Lei, nº 63/85
dos direitos do autor

domingo, 9 de setembro de 2018

És eco


És eco do meu pensamento
e onda do meu navegar
és poema que não comento
da metáfora que te quero dar

Sinto-te na rima que invento
pintada nos versos do meu poema
que contarei um dia ao vento
quando eu me soltar desta algema

José Carlos Moutinho
9/9/18

Decreto-Lei, nº 63/85
dos direitos do autor

Brincar com o tempo

Olhei o tempo que se foi
que nada disse, porque já tinha ido
mas se o tempo fosse presente
de certeza de que falaria comigo

porque o tempo somos nós
que o fazemos ser nosso tempo
somos nós quem lhe dá voz
e ele nos oferece o pensamento
José Carlos Moutinho
9/9/18

sexta-feira, 7 de setembro de 2018

quinta-feira, 6 de setembro de 2018

Alguma poetisa

...
Há momentos em que me apetece
adormecer nos braços de alguma brisa,
talvez assim o vento que me esmorece
se tornasse a tela de alguma poetisa
que me encantasse na noite que acontece
quando de amor, meu tanto coração precisa

José Carlos Moutinho
6/9/18

Decreto-Lei, nº 63/85
dos direitos do autor

terça-feira, 4 de setembro de 2018

Uma certeza




Caminhei sobre pedras gastas
quando encontrei um caminho,
sentimentos e emoções bastas
que recebi sempre com carinho
na encantada terra sem castas
onde nasci, de nome Sobralinho

Viu-me a luz certo dia de Junho
no palácio onde vivia a pobreza,
o destino escrevia um rascunho
lembrando que não era nobreza
a que me servia de testemunho
porém, a felicidade uma certeza

A revolução de Abril de certo ano
fez do meu palácio, centro social,
talvez o palácio fosse um engano
direi que seria palacete senhorial,
na aldeia tinha aspecto palaciano
ao revê-lo senti um choque brutal

José Carlos Moutinho
4/9/18

Decreto-Lei, nº 63/85
dos direitos do autor